Campanário

A primeira Igreja de Nossa Senhora da Piedade do Campanhã foi construída no final do século XIX e, por tradição oral, sabe-se que a mesma era de madeira e tina aproximadamente 20m². Em 1922, devido ao estado de deterioração da capela, o povo, com a ajuda do Sr. José Joaquim Gurgel e sob a direção do padre Pedro Pinto Fernandes construiu uma nova capela, esta, agora, com dimensões bem maiores que a anterior e, à sua frente, ergueram um campanário para abrigar o sino.

Raros são os documentos encontrados deste período, exceção feita a um convite para a inauguração do sino, datado de 1935 e uma fotografia do mesmo período.

Esta igreja sobreviveu até a década de 1970, quando, devido ao grande aumento da população, a mesma se tornou pequena e teve que ser substituída por outra maior. Foi demolida, e em seu lugar construída uma nova. O Cruzeiro manteve-se intacto, porém o Campanário recebeu um telhado e agora uma rua separava os mesmos da Igreja. Na década de 1980, esta Igreja também havia se tornado insufucuente para receber o número de fiéis e começaram novamente os projetos para construção de mais uma igreja, ainda maior, a atual. Em 1990, a Lei Orgânica do município tombou os dois bens sob a denominação de Conjunto Arquitetônico do Sino da Matriz de Justinópolis.

Nesta mesma década o sino foi retirado do campanário e colocado na torre da nova Matriz, cujo a construção foi concluída em 1993. Em 1996, com o crescimento do comércio no entorno da Igreja Matriz de Justinópolis, teve início uma invasão de quiosques, lanchonetes e vendedores ambulantes que, aos poucos tomaram a pequena praça do Campanário e Cruzeiro com construções mal feitas de tijolos e grades de ferro, terminando com a chegada do novo vigário e com a formação de uma equipe de patrimônio é que foram retiradas as grades e demolidas as construções ilegais na praça do Campanário.

Lendário Sino da Igreja Nossa Senhora da Piedade, em 7 de setembro de 1975