Wilson Piazza

Wilson da Silva Piazza, ou apenas Piazza (25 de fevereiro de 1943) é um ex-futebolista nevense, que atuava como volante e como zagueiro. Quando garoto, em Ribeirão das Neves, tinha simpatia pelo Villa Nova, de Nova Lima, mas foi no Cruzeiro que viveu os mais áureos anos de sua carreira.

Começou a dar os primeiros chutes no Renascença no início dos anos 60, clube de futebol amador de Belo Horizonte, onde conquistou um campeonato local, em 1962. Em função da contusão do atleta Hilton Chaves, o jovem teve a sua oportunidade no Cruzeiro, sendo contratado junto ao Renascença em 1963, aos 20 anos de idade. E não a desperdiçou. Líder nato que era, Piazza recebeu, três anos depois, as bênçãos e a braçadeira de capitão de Carmine Furletti, o então vice-presidente do clube celeste. Foi o maior capitão da história do Cruzeiro: liderou o grupo estrelado por 10 anos consecutivos, de 1966 a 1976.

Piazza jogou ao lado de jogadores como Natal, Tostão, Dirceu Lopes, Raul Plassmann e todo o famoso esquadrão celeste dos anos 60-70, campeão da Taça Brasil de 1966, batendo o Santos de Pelé e cia, e campeão da Taça Libertadores de 1976, em cima do argentino River Plate.

Como começou a carreira no ataque, Piazza tinha facilidade nas finalizações: marcou 40 gols com a camisa celeste. Isto sem contar seu espírito de liderança e organização, que lhe valeram três convocações para a Seleção Brasileira, entre elas, a inesquecível seleção de 1970, na conquista do tricampeonato mundial. Polivalente que era, Piazza jogou como um quarto zagueiro e, ao lado de Brito, não fez feio com a camisa canarinha e levantou a taça do Tri.

Ao completar 70 anos, Piazza contou, em entrevista à Revista do Cruzeiro - material posteriormente publicado no Site Oficial do clube - como foi sua infância na cidade. "Gostava muito de futebol, de caçar passarinho e pescar, mas o que predominava mesmo era a bola. Cortamos um pé de laranja e fizemos um campinho em frente à nossa vila. Na Vila Cacique é que comecei a dar meus primeiros pontapés. Meu pai foi jogador, talvez por isso tive essa vontade de ser também, mas ele não foi profissional. Cheguei a jogar contra ele, ele também usava a camisa 5".

Títulos

Seleção Brasileira

Copa do Mundo: 1970

Cruzeiro

Taça Libertadores da América: 1976
Brasil Campeonato Brasileiro: 1966
Minas Gerais Campeonato Mineiro: 1965, 1966, 1967, 1968, 1969, 1972, 1973, 1974, 1975 e 1977